Dieta para diabetes: o que está errado na atualidade?

Dieta para diabetes: o que está errado na atualidade?

9 de maio de 2016

Para entender como deve ser uma real dieta para diabetes, em primeiro lugar você deve esquecer tudo o que sabia sobre a doença até agora.

É isso mesmo que você leu. Simplesmente esqueça.

Porque o que você vai ler aqui pode ser chocante e totalmente novo. Aliás, vai ser.

banner método emagrecimento fácil
Neste artigo você vai descobrir:

1- O que é o diabetes

2- Uma analogia que explica o manejo atual do diabetes

3- Por que o diabetes tipo 2 acontece

4- O que está errado nisso

5- Um alerta sobre o consumo de proteína animal

6- A chave para o problema (micronutrientes)

banner método emagrecimento fácil

7- O que comer efetivamente

 

O que é o diabetes.

o que é diabetes

Bom, eu falei no começo para esquecer tudo o que você sabia.

Falha minha, essa parte aqui é convencional, mas não pode faltar.

O diabetes é uma doença caracterizada pela elevação da glicose sanguínea, por uma resposta “alterada” à insulina.

Um dos papéis da insulina é promover a captação da glicose sanguínea pelas células. Se isso não ocorre, a glicose se acumula no sangue e seu nível obviamente aumenta.

Entenda por resposta “alterada” duas coisas (o que explica os dois tipos de diabetes):

1- O organismo não consegue produzir insulina o suficiente para promover a entrada da glicose nas células.

Essa condição normalmente dá origem ao diabetes tipo 1, advindo da insuficiência das células beta do pâncreas, produtoras de insulina.

2- O organismo até consegue produzir a insulina, mas a demanda é tão grande que duas coisas ocorrem simultaneamente: o organismo começa a desenvolver resistência ao hormônio, requerendo doses cada vez maiores para surtir efeito, e o pâncreas acaba exaurido em sua capacidade de produzir insulina.

Chega um momento que o pâncreas não aguenta mais o tranco e a pessoa desenvolve o diabetes tipo 2.

Grosso modo, é assim que funciona.

As consequências dos níveis elevados de glicose no sangue podem ser catastróficas.

Diabéticos do tipo 1 podem sofrer uma condição grave chamada cetoacidose diabética (e isso pode matar), e todos os diabéticos estão sob risco de desenvolverem complicações como cegueira, insuficiência renal (que pode evoluir para necessidade de hemodiálise e até transplante renal), amputações de membros, problemas cardiovasculares relacionados, etc.

Bom, isso você provavelmente já sabia.

Aperte os cintos porque aqui começa a parte disruptiva do artigo.

Como é feito o manejo atual do diabetes.

Alguns dos conceitos aqui se aplicam também ao manejo do diabetes tipo 1, mas o foco principal é o do tipo 2.

Até porque os mecanismos são diferentes.

O diabetes tipo 1 é gerado por uma deficiência intrínseca de insulina, então o seu manejo com reposição faz sentido.

O problema é o manejo do tipo 2.

E de cara uma revelação chocante para você: Imagine que você encontra uma infiltração em sua parede.

Obviamente, você como pessoa inteligente que é, vai pensar em eliminar a causa, buscando o que pode estar causando essa infiltração, resolvendo o problema, e aí cuidando da aparência da parede.

Agora, o que você faria se alguma pessoa “genial” dissesse para você que basta raspar e pintar a parede que fica bonito de novo.

Tá na cara que essa pessoa tem muito o que aprender, não?

É óbvio que a parede vai ficar bonitinha por um tempo, até a infiltração, que tá lá sem ter sua causa resolvida, estragar a pintura de novo.

E o que isso tem a ver com o diabetes?

Por conta de interesses oculto$, o manejo atual do diabetes não é muito diferente de apenas raspar e pintar a parede após a infiltração.

 

Por que o diabetes tipo 2 acontece?  

piores alimentos: açúcar.

O principal fator causador do diabetes tipo 2 é uma alimentação inadequada. Saiba mais…

Para começo de conversa, o diabetes tipo 2 é uma condição adquirida.

E a causa é a resistência à insulina associada à exaustão do pâncreas.

 

Mas antes de prosseguirmos... Que tal conhecer um método de emagrecimento totalmente sistematizado e fácil, onde você não precisa abandonar totalmente os alimentos que tanto gosta e acabar de vez com o tal do efeito sanfona, mudando sua vida e saúde para sempre?

Você está a um clique de uma verdadeira revolução na sua vida. Se você precisa perder 10, 20, 30kg ou mais, veio ao lugar certo. E se precisa perder só alguns quilinhos, é mais rápido ainda. Nada de medicações, dietas milagrosas, nada disso. Até porque nada disso é necessário.

E você também vai conhecer 7 alimentos que você provavelmente acha que são emagrecedores, mas que na verdade promovem justamente o efeito contrário.

Clique aqui para saber mais e bem vindo à sua nova vida.

A demanda por insulina é tão grande que o coitado do pâncreas não dá mais conta do recado.

E o que causou essa demanda toda?

A resposta é: uma nutrição completamente inadequada. Essa foi a “infiltração”.

O consumo de gorduras ruins acaba por “endurecer” as membranas celulares e torna-las menos permeáveis à glicose. Esse é um dos mecanismos de resistência à insulina.

Somado a isso, o consumo excessivo de carboidratos promove uma necessidade de secreção insulinêmica intensa.

O resultado dessa verdadeira catástrofe nutricional é uma necessidade crescente de mais e mais insulina, para segurar a glicemia.

O pâncreas começa a trabalhar mais. E mais. Por um tempo, ele até segura a onda.

Mas chega uma hora que a demanda é tão grande que toda a insulina que você produz não é mais suficiente.

E aí a glicemia começa a subir. E daqui a algum tempo, seu pâncreas vai esgotar a capacidade de produção, o que leva a um aumento ainda maior da glicemia.

 

O que está errado no manejo atual.

Mas voltemos ao manejo atual.

O foco todo está completamente errado.

Está na parede, e não na infiltração.

O tratamento tem como pilares, cada vez mais, o uso de medicações para controle dos níveis de glicemia. Assumiu-se que a doença não tem cura, então o lance é dar medicação para controle.

Só que uma verdadeira catástrofe se esconde por trás disso.

O simples controle da glicemia acaba deixando a abordagem à verdadeira causa em segundo plano. E é justamente isso que a indústria farmacêutica quer que aconteça.

Por que? Ora, a verdadeira causa do diabetes foi a sua dieta! E aqui vai, em letras garrafais, um recado para você:

CONSERTE A SUA DIETA, E O DIABETES É REVERSÍVEL.

É isso mesmo!

dieta para diabetes dica

 

Mas agora para encaixar a peça do quebra-cabeça, se essa fosse a recomendação médica geral, alguém teria um prejuízo enorme por deixar de vender insulina e outros medicamentos para diabetes, não?

Quando você ajusta sua dieta para diabetes, alguns fatores interessantes vão ocorrer:

1- Sua glicemia vai despencar rápido

2- Você vai perder peso

3- Seu pâncreas vai ter uma folga

O resultado disso é que as suas necessidades de insulina vão cair tanto que seu pâncreas será novamente capaz de supri-las.

E se você continuar com uma dieta para diabetes adequada, adivinhe só: você não terá mais o diabetes.

Tradução: Cura.

Basta não comer as porcarias que causaram a doença.

Mal comparando, é como a relação entre radiação e câncer. Muita exposição levará ao câncer, e se você for tratado e curado, uma nova exposição pode provocar o câncer novamente.

Evite a exposição e adeus doença.

Simples.

Novamente, o foco no controle medicamentoso da glicemia permite que seus níveis de insulina continuem altíssimos, e isso vai ter consequências sérias no futuro.

E convenhamos, a abordagem atual apenas reduz um pouco a morbi-mortalidade pela doença. Por que não investir em uma abordagem curativa, eficaz, e principalmente, barata?

 

Uma chave pouco conhecida para o problema. 

reparação do diabetes.

Uma dieta para diabetes precisa ser rica em vegetais.

Você já deve saber que quase tudo, em matéria de nutrição atual (basta olhar o que é vendido no supermercado) tem sérios problemas.

A dieta ocidental é um dos principais assassinos do mundo moderno.

A abundância de produtos industrializados, repletos de carboidratos ruins (os campeões de elevação da glicemia) e gorduras piores ainda, acaba compondo o mix que gera todo esse problema.

Um conceito que precisa ficar claro, e que recebe pouca ênfase, é o de micronutrientes.

Micronutrientes são compostos químicos encontrados principalmente nos vegetais.

Os antioxidantes são bons exemplos.

A nutrição que leva ao desenvolvimento do diabetes é normalmente muito pobre nesses micronutrientes, até porque dificilmente alguém que baseia sua nutrição em legumes e verduras crus vai ter diabetes.

Esses micronutrientes são essenciais para impedir a formação de radicais livres e auxiliar nos processos de regeneração celular.

São eles que vão possibilitar o reparo das membranas que agora são resistentes à insulina, e também a recuperação do seu pâncreas.

E a dica é: para uma dieta para diabetes, você deve abusar desses micronutrientes.

Folhas diversas, legumes, feijões, frutas (especialmente as vermelhas) todos são bem vindos.

 

E os carboidratos?

Primeiro de tudo, você não precisa da imensa maioria dos carboidratos que consome.

Existem gorduras essenciais, proteínas essenciais, mas carboidrato essencial não existe nenhum.

Coisas como produtos derivados de farinha de trigo e outros carboidratos refinados foram, em última análise, uma das causas do seu diabetes e só por causa disso deveriam ser eliminados de vez da sua dieta.

Restam os carboidratos naturais, como os dos feijões, batatas, e cenouras.

Primeiramente, esses vegetais também contém boa parte de seus carboidratos como amidos resistentes, que não são absorvidos e não apitam na sua glicemia.

Segundo, só o fato de você eliminar as porcarias e enriquecer sua alimentação com micronutrientes na sua dieta para diabetes, talvez já seja o suficiente para que seu pâncreas consiga produzir insulina em quantidades normais, mesmo consumindo esses alimentos.

Um alerta sobre o consumo de produtos de origem animal na dieta para diabetes. 

carne

Para ajudar a reversão do diabetes, é importante moderar o consumo de carnes.

Dessa forma, a abordagem dietética até aqui foca na redução de carboidratos e gorduras ruins.

E isso levaria naturalmente as pessoas a adotarem uma dieta low carb, com muitos produtos de origem animal.

Só que existem alguns perigos escondidos que tornam essa abordagem, ainda que seja eficaz no controle da glicemia, perigosa no longo prazo.

Primeiro porque a proteína animal se consumida em excesso (e isso facilmente acontece) é capaz de fazer o seu corpo produzir uma substância chamada IGF-1 (Insulin-like growth factor – fator de crescimento semelhante à insulina), que vai basicamente atrapalhar o processo de cura do seu pâncreas, inclusive mantendo a resistência à insulina.

Segundo, porque os produtos de origem animal não contém os micronutrientes contidos nos vegetais, e assim eles acabam competindo por espaço na sua nutrição.

E terceiro, pelos riscos associados ao consumo de produtos animais, como doenças cardiovasculares.

O que não quer dizer que você deva evitar completamente as proteínas animais, mas moderar no seu consumo.

O que efetivamente comer na dieta para diabetes.

saladas para emagrecer

Dessa forma, a abordagem mais eficaz para combater o diabetes é uma dieta rica em plantas (folhas, frutas, feijões, grãos selvagens), e quanto mais cruas ou naturais, melhor.

O consumo de produtos de origem animal, como as carnes e laticínios, deve ser moderado, pelos motivos acima descritos. Novamente, é possível o controle da glicemia mesmo consumindo os produtos de origem animal, mas não é a melhor opção.

Uma pergunta natural que poderia advir disso é “de onde vou obter proteína”.

O problema é que as proteínas contidas nos alimentos de origem animal são chamadas de “nobres”, porque contêm as proporções corretas de todos os aminoácidos úteis.

E isso se resolve para os vegetarianos com a variação da alimentação, ou seja, diversas fontes diferentes, e assim você conseguirá as proporções corretas de todos os aminoácidos úteis.

As proteínas vegetais aumentam a produção de glucagon e ajudam a reduzir os níveis de insulina no sangue e isso por si só é essencial para o emagrecimento.

É essencial no entanto, variar tanto quanto possível os alimentos, de tal maneira que a reserva dos vários componentes úteis para a formação das proteínas, estejam sempre disponíveis.

E cá para nós, é difícil ver um vegetariano doente por aí, não é?

Confira abaixo um infográfico com 10 fontes ótimas de proteína vegetal:

infografico dieta para diabetes

Clique na imagem para ampliar

 

Para encerrar, um lembrete: Apesar de serem de origem vegetal, derivados de farinha de trigo e óleos industrializados, bem como outros produtos mais refinados, não têm permissão para entrar na sua dieta para diabetes.

A maioria dos alimentos numa dieta para diabetes deve ser de origem vegetal (se possível, todos), mas não esqueça que devem ser o mais cru e natural possível. E coisas como pão e macarrão não tem vez aqui.

 


 

Referências:

 

1 – Protein and vegetarian diets.

2- Health effects of vegetarian and vegan diets.

3- Type 2 Diabetes Mellitus: A Review of Current Trends

Descubra quais são os 7 alimentos que parecem saudáveis, mas que na realidade não são.

Sim, eu quero.

Publicidade

O que você pensa sobre emagrecimento e dietas? Escreva abaixo!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *