Hormônio do estresse engorda (e 4 atitudes para emagrecer)

Hormônio do estresse engorda (e 4 atitudes para emagrecer)

4 de outubro de 2016

Por n mecanismos, o hormônio do estresse engorda ou facilita que você engorde.

Independente do motivo, sejam as contas para pagar, o desemprego, a crise, estresse é algo que está cada vez mais presente na vida moderna.

E como nós humanos somos máquinas complexas de interações biológicas, quando avaliamos a fundo o que acontece em nosso corpo sob estresse, inevitavelmente vamos chegar ao papel do cortisol, o chamado hormônio do estresse.

banner método emagrecimento fácil

E algumas dessas consequências podem ser bem, digamos, desinteressantes para você que quer perder uns quilinhos.

Então neste artigo você vai descobrir:

1- O que é o estresse

2- Por que nem todo estresse é ruim

3- Como o estresse às vezes é vital para você

4- O que torna o estresse exagerado

5- Por que você não está errado em buscar aliviar o estresse, mas na forma com que o faz

banner método emagrecimento fácil

6- O que acontece durante o estresse no corpo

7- Qual é, e por que o hormônio do estresse engorda

8- Por que você acaba comendo para aliviar o estresse

9- 4 atitudes para controlar o hormônio do estresse, para que você possa emagrecer em paz

 

Estresse é sempre ruim?

 

Estresse não necessariamente é uma coisa ruim.

Vai depender de um contexto.

Segundo o Google, estresse é um estado gerado pela percepção de estímulos que provocam excitação emocional e, ao perturbarem a homeostasia, levam o organismo a disparar um processo de adaptação caracterizado pelo aumento da secreção de adrenalina, com várias consequências sistêmicas.

E se você não entendeu patavinas, vamos botar no popular:

É a sensação gerada quando percebe-se alguma coisa perturbadora, e que requer alguma medida para se adaptar.

E por que nem sempre é uma coisa ruim?

Primeiro porque o estado de estresse te deixa alerta.

Numa situação de perigo, não há tempo para ficar de conversinha ou analisando friamente a situação.

Se a sua casa começar a pegar fogo, você não vai querer conferir se a máquina de lavar roupa já terminou o ciclo para então pegar as roupas para secar, não?

Você tem outras prioridades. Tipo dar no pé e salvar sua vida. Nesse caso, o estresse faz você agir numa espécie de reflexo de fuga.

E isso é bom.

Outra forma que o estresse é positivo está nas nossas reações imunológicas.

Se um microorganismo invadir o corpo, isso vai gerar uma espécie de estresse.

Em resposta, o organismo vai impedir que o microorganismo se multiplique, o que poderia ter consequências catastróficas.

E de quebra, isso ainda vai gerar uma resposta imunológica. Na próxima vez que um organismo semelhante se meter a engraçadinho e quiser invadir, a resposta do corpo será mais rápida e eficiente.

O estresse nesse caso gerou melhora da imunidade e resistência. Você está melhor do que se não tivesse passado por esse estresse.

Também em situações mais corriqueiras de nossas vidas o estresse é útil.

Uma delas se aplica ao emagrecimento, e estou falando da atividade física.

Ao se exercitar, você está criando um estresse para o seu organismo, na forma de microlesões na musculatura e aumento súbito do consumo de oxigênio e energia.

E a resposta a esse estresse não poderia ser melhor: aumento do metabolismo, gasto energético, aumento da construção de massa muscular… Em última análise, melhora da condição física, mais saúde, emagrecimento.

Mais um estresse positivo. Só que nem tudo são flores.

O problema é quando a consequência do estresse (ou a percepção individual do que está causando esse estresse) é exagerada.

 

O que acontece quando estamos sob estresse (nível hormonal)

estresse engorda

Saiba o quê acontece com o seu corpo quando o stress bate na porta.

Além das consequências óbvias e o estresse causa nas pessoas, nem todo mundo sabe que o cortisol, o chamado hormônio do estresse, engorda.

Pois ele é liberado quando as pessoas se sentem “ameaçadas”, desconfortáveis, digamos assim.

 

Mas antes de prosseguirmos... Que tal conhecer um método de emagrecimento totalmente sistematizado e fácil, onde você não precisa abandonar totalmente os alimentos que tanto gosta e acabar de vez com o tal do efeito sanfona, mudando sua vida e saúde para sempre?

Você está a um clique de uma verdadeira revolução na sua vida. Se você precisa perder 10, 20, 30kg ou mais, veio ao lugar certo. E se precisa perder só alguns quilinhos, é mais rápido ainda. Nada de medicações, dietas milagrosas, nada disso. Até porque nada disso é necessário.

E você também vai conhecer 7 alimentos que você provavelmente acha que são emagrecedores, mas que na verdade promovem justamente o efeito contrário.

Clique aqui para saber mais e bem vindo à sua nova vida.

Para entender, vale dizer que os hormônios liberados quando estamos estressados incluem a adrenalina – que nos dá energia instantânea – juntamente com o Hormônio Liberador de Corticotrofina (CRH) e o cortisol.

Embora altos níveis de adrenalina e CRH diminuam o apetite no início, os efeitos geralmente não duram muito tempo, e o cortisol funciona em um horário diferente.

Ou seja, o seu trabalho consiste em reabastecer o nosso corpo após o estresse que já passou, para tanto, ele aumenta o apetite.

Embora esse mecanismo funcione bem quando o nosso estresse vem na forma de perigo físico – quando realmente precisa “lutar ou fugir”, não tem a mesma eficiência em caso de perigo mental ou imaginário.

Assim, mesmo quando não precisamos dos hormônios para agir em caso de perigo físico, eles são liberados quando estamos incomodados com alguma coisa, frustrados, com raiva, tristeza e outros sentimentos que circundam o estresse.

E é justamente quando mexemos com esse emocional, que mora o perigo!

 

Comer para aliviar o estresse

Estresse engorda: comida

Comer enquanto está estressada não é uma das melhores opções… Saiba mais.

Em outras palavras, o sistema neuroendócrino não sabe distinguir quando é preciso agir perante uma situação de perigo real ou imaginário e, assim, sempre libera os mesmos hormônios.

Além disso, como parte do pacotão de consequências da liberação do hormônio do estresse, o fígado libera açúcar para a corrente sanguínea, pois ele é o combustível que os músculos precisam perante o perigo.

Por isso, também é comum sentir mais vontade de comer carboidratos quando estamos estressados, que se transformam em açúcar após a digestão.

Mas não é só esse mecanismo que causa o ganho de peso, já que em casos de estresse a mente pede que seja feito algo fácil e reconfortante, como comer.

Mas não comer qualquer coisa… Tá pensando o que?

Já viu alguém estressado ir comer alface?

Sob estresse, você vai buscar exatamente os alimentos que não só suprem essa necessidade de açúcar, como aqueles que causam alguma sensação de alívio no seu cérebro.

E olha só, os alimentos que cumprem esse papel são os mesmos!

Doces, salgadinhos, porcarias em geral, elas têm o poder de causar uma boa sensação no cérebro, e isso alivia o estresse.

Mas também engorda!

Então podemos dizer que indiretamente, o hormônio do estresse engorda, por conta dessa cadeia de reações que vão levar você à geladeira e a ter que comprar roupas novas mais largas.

hormonio do estresse engorda

 

Então hormônio do estresse engorda. O que fazer?

correr emagrece

É uma reação natural sua ir buscar conforto para aliviar o estresse.

E nisso você está de parabéns.

Caso não o fizesse, haveria um acúmulo que seria emocional e fisicamente insuportável.

O problema é que a forma mais óbvia de alívio do estresse nem sempre é desacompanhada de efeitos colaterais.

Comer para aliviar o estresse é muito fácil e prazeroso, especialmente porque você vai instintivamente buscar belas porcarias para botar para dentro da pança.

O efeito colateral disso, ironicamente, será mais uma fonte de estresse, ansiedade, tristeza, e daí você pode ver onde isso vai parar, não?

Um ciclo vicioso e engordativo.

Se o caso é apenas de estresse “imaginário”, tecnicamente não é preciso alimentar-se para se restabelecer.

Só que mesmo assim come-se, e como a energia não é gasta, os alimentos consumidos se convertem em gordura, que se acumula no organismo.

Com isso, não se ganha apenas peso, mas com o tempo é possível desenvolver a chamada “gordura visceral” em torno dos principais órgãos do abdômen, como o fígado.

Essas células de gordura estão associadas a um aumento da incidência de doenças como as cardíacas e o diabetes.

Porém, há pesquisas que mostram que existem formas de interromper o ciclo, quebrar esse padrão de reação, aliviar o estresse e parar de acumular gordura.
hormônio do estresse engorda

E vamos então aprender as 4 atitudes para controlar o hormônio do estresse e eliminar mais um fator que atrapalha o emagrecimento.

Atitude 1 – Exercício

Entre elas, está se exercitar, porque, além de queimar calorias, quando você move o seu corpo, mesmo com uma atividade simples, como caminhar, você começa a produzir uma substância que inibe os efeitos negativos dos hormônios do estresse.

Estou falando das endorfinas.

Você já deve ter ouvido histórias de pessoas que ficaram viciadas em atividade física, mesmo quando eram anteriormente sedentárias, não?

Pois é, endorfina vicia.

Mas esse é um vício bom de se ter.

Atitude 2 – Fazer alguma atividade prazerosa ou relaxante

Outra dica é fazer uma atividade que seja prazerosa, caso contrário, mais uma vez o cortisol pode ser liberado, atrapalhando o seu emagrecimento.

Entenda por prazerosa algo que entretenha e distraia sua mente.

Como mencionei aqui no artigo sobre como controlar o apetite, uma forma eficaz de distrair sua mente para ela ficar longe de querer comida, é algum tipo de entretenimento visual, que envolva formas.

O jogo Tetris é um bom exemplo. Mas qualquer coisa, desde leitura até trabalho, que retire o foco do estresse, é válida.

Coisas que relaxem a mente como Yoga e meditação também ajudam a controlar o hormônio do estresse.

 

Atitude 3 – Quanto à alimentação

 

Outra estratégia é manter os níveis de açúcar no sangue estáveis.

Isso atua principalmente na prevenção de sentimentos que causam estresse, como tristeza e ansiedade, a fim de evitar os picos de insulina agravados pelos níveis de cortisol.

É comprovado que, com níveis de açúcar mais estáveis, você terá também um humor mais estável.

E além disso, é mais fácil comer de forma equilibrada e emagrecer assim. O que gera uma espiral positiva e menos estresse, por tabela.

E como fazer isso?

Primeiro, evitando porcarias refinadas e produtos industrializados que contenham açúcar ou farinha de trigo.

Se você não for adepto de uma dieta low carb, pode se concentrar nos carboidratos mais complexos, como os da batata doce. Eles não provocarão picos de insulina.

E se sua praia for cortar carboidratos, é garantido que você não vai ter flutuação nenhuma dos níveis de glicose, sem falar que eventuais desejos por doces e afins irão a zero, ou seja, menos chances de sofrer com o estresse.

 

Atitude 4 – Ter um bom sono

 

Por fim, durma bem em torno de oito horas, porque a falta de sono pode ativar o cortisol também.

 

Concluindo

 

O hormônio do estresse engorda, seja por efeito direto ou indireto, de todas as formas que vimos acima.

E como não poderia deixar de ser, quase tudo em matéria de emagrecimento acaba levando àquele caminho das pedras que todo mundo sabe qual é.

Alimentação equilibrada, atividade física, bom sono… A receita de bolo é conhecida há milênios, e funciona para todos os fatores que impedem o seu emagrecimento.

Tá esperando o que para começar?


Referências:

1- Stress and hormones

2- Study of the stress response: role of anxiety, cortisol and DHEAs

3- Increases in weight during chronic stress are partially associated with a switch in food choice towards increased carbohydrate and saturated fat intake.

Descubra quais são os 7 alimentos que parecem saudáveis, mas que na realidade não são.

Sim, eu quero.

Publicidade

O que você pensa sobre emagrecimento e dietas? Escreva abaixo!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *