Óleo de cártamo: um terrível veneno disfarçado de produto saudável.

Óleo de cártamo: um terrível veneno disfarçado de produto saudável.

29 de janeiro de 2016

O óleo de cártamo, em matéria de emagrecimento, é um dos produtos que está “na crista da onda”.

Com rótulos como “produto natural”, “ajuda na queima de gordura”, “reduz o apetite” e “combate o colesterol ruim”, quem não ficaria tentado a experimentar?

Só que a realidade não é bem essa apregoada pelos marqueteiros envolvidos com a criação de uma aura positiva sobre o óleo de cártamo para emagrecer.

banner método emagrecimento fácil

Simplesmente não existem pesquisas que comprovem essa capacidade emagrecedora de forma saudável.

Não passa de propaganda enganosa, e isso vai acabar frustrando quem acredita nessa mensagem.

E a Anvisa, em março de 2014, determinou que todas as propagandas que atribuíssem propriedades emagrecedoras à suplementos de óleo de cártamo fossem suspensas.

Neste artigo, vamos dissecar o óleo de cártamo e explicar por que você NÃO deve utilizá-lo.

E você também vai descobrir:

1- Por que de natural o óleo de cártamo não tem praticamente nada

2- As substâncias utilizadas no processamento do óleo de cártamo (coisas que você jamais levaria à sua boca)

banner método emagrecimento fácil

3- Os (poucos) benefícios do óleo de cártamo para emagrecer

4- Por que ele é apenas menos pior que outros óleos pra cozinhar

5- Por que o imenso conteúdo de ômega-6 do óleo de cártamo é na verdade, perigoso

6- Qual a jogada de marketing envolvida nessa história de “óleo de cártamo emagrece”

7- Uma convocação para que alguém que emagreceu devido ao óleo de cártamo apresente provas concretas e irrefutáveis disso.

Óleo de cártamo é tão natural assim?

Para a obtenção do óleo de cártamo, existem dois processos: um químico e um mecânico.

No processo químico, o óleo é obtido através de refinamentos que usam inclusive solventes para obter o resultado final.

Esse processo acaba destruindo ou removendo componentes que causariam benefícios, como a vitamina E, e também deixando traços das substâncias utilizadas.

É um caso a pensar, chamar um produto desses de “natural”.

Já o processo mecânico, as sementes são comprimidas e obtém-se o óleo.

Esse processo permite a manutenção das substâncias originais contidas no cártamo, mas é mais dispendioso e tem menor rendimento.

Em se tratando de uma indústria alimentícia, você já deve imaginar de onde vem a maioria do óleo de cártamo encontrado por aí.

Buscando sempre a eficiência e o aumento da produtividade, é “natural” que a preferência será por processos mais artificiais e que permitam grande escala na produção.

E depois é só deixar o trabalho de suavizar esse fato para os marqueteiros.

As “vantagens” do consumo de óleo de cártamo

Um estudo feito pela Universidade do Estado de Ohio (EUA), demonstrou que o óleo de cártamo realmente aumentava os níveis de adiponectina, um hormônio que, em última análise, reduz o acúmulo de gordura no abdome, o que obviamente seria algo benéfico.

Outro achado interessante é sobre a redução dos níveis de colesterol, em pessoas que utilizaram óleo de cártamo de forma suplementar.

Porém, há que ser feita uma distinção, porque os supostos altos níveis de colesterol não necessariamente implicam em causalidade necessária de doenças cardiovasculares.

E a prova disso veio exatamente em outro estudo publicado no BMJ (British Medical Journal), que demonstrou que o uso do óleo de cártamo em substituição à outras gorduras de fonte animal, na verdade aumentava significativamente o risco de mortalidade por doenças cardiovasculares, à despeito da redução do colesterol realmente observada.

E as gorduras polinsaturadas do óleo de cártamo?

Em geral, todos os óleos vegetais industrializados contém altos níveis de gorduras polinsaturadas.

Por mais que se alegue que essas gorduras podem ser benéficas no combate ao colesterol elevado, você sabia que o conteúdo gorduroso do organismo humano é de 97% de gorduras saturadas e monoinstaturadas?

Nosso corpo precisa de gorduras na nutrição para reconstruir células e produzir hormônios, e só pode usar o que nós damos a ele, e no caso dessas gorduras, estamos dando o tipo inadequado.

E outra vantagem comumente citada do óleo de cártamo é que ele é mais resistente à oxidação em altas temperaturas do que outros óleos de cozinha.

Mas isso o torna apenas menos pior.

Gorduras como o azeite, a manteiga, o óleo de coco e a banha animal são infinitamente mais seguras que o óleo de cártamo para cozinhar.

As gorduras polinsaturadas, em geral, são altamente instáveis, oxidando-se facilmente, e acabam por causar inflamação e mutações nas células.

Essa oxidação está relacionada com diversos eventos como câncer, doenças do coração, endometriose, etc.

Mas o óleo de cártamo tem muito ômega-6, não?

Cada vez mais se torna uma “verdade” que, quanto mais ômega-3 um determinado alimento contém, mais saudável ele é.

O que é negligenciado é o fato que, na verdade, o equilíbrio entre ômega-3 e ômega-6 é mais importate para a saúde.

Os óleos vegetais, em geral, contém altas quantidades de ômega-6, que são ácidos graxos facilmente oxidáveis.

Os ácidos graxos ômega-3 são comprovadamente eficazes em reduzir inflamações e proteger contra o câncer.

Porém, quando ocorre desequilíbrio nessa proporção, já foi demonstrado que isso pode estar ligado a diversos tipos de cânceres e outros problemas de saúde.

 

Mas antes de prosseguirmos... Que tal conhecer um método de emagrecimento totalmente sistematizado e fácil, onde você não precisa abandonar totalmente os alimentos que tanto gosta e acabar de vez com o tal do efeito sanfona, mudando sua vida e saúde para sempre?

Você está a um clique de uma verdadeira revolução na sua vida. Se você precisa perder 10, 20, 30kg ou mais, veio ao lugar certo. E se precisa perder só alguns quilinhos, é mais rápido ainda. Nada de medicações, dietas milagrosas, nada disso. Até porque nada disso é necessário.

E você também vai conhecer 7 alimentos que você provavelmente acha que são emagrecedores, mas que na verdade promovem justamente o efeito contrário.

Clique aqui para saber mais e bem vindo à sua nova vida.

E como você pode imaginar, muita gente consome muito mais ômega-6 do que ômega-3, comprando óleos que se dizem “ricos em ômega-3”, mas sem perceber que estão tornando esse desequilíbrio ainda mais grave.

E o que o óleo de cártamo tem a ver com isso? Dos óleos vegetais, ele é o que MAIS contém ômega-6, assustadores 75%.

E o conteúdo de ômega-3 é zero.

Não é preciso pensar muito para imaginar as consequências do consumo desse óleo.

Esse desequilíbrio de ômega-6 x ômega-3 leva a um estado crônico de inflamação no organismo, que está intimamente ligado a problemas de saúde desde os mais leves e inexplicáveis, como dores articulares persistentes sem uma causa aparente, até a gênese de tumores.

Concluindo

O óleo de cártamo, como muitos outros suplementos já vistos anteriormente, é mais uma evidência de como achados científicos de benefícios isolados, sem análise mais profunda das consequências, e em combinação com um belo esforço de marketing, pode causar furor em um público ávido por uma solução mágica.

A fórmula marqueteira é simples:

1- Pegue os aspectos benéficos do óleo de cártamo (ou mesmo os supostos, nos quais as pessoas acreditam por desinformação)

2- Esconda os poréns

3- Exagere nos milagres prometidos

4- Não esqueça de colocar uma observação em linhas pequenas: “Para melhor eficácia, é necessário associar um programa de dieta e atividade física” ou algo do tipo.

5- Pronto. Se não funcionar, a pessoa vai entrar em modo de “auto-culpabilidade” e achar que foi pela sua falta de disciplina.

Pronto, uma enxurrada de gente que deseja tais benefícios vai aparecer, e torrar seu dinheiro num produto que nada resolve.

Mas como demonstrado aqui, os benefícios certamente não compensam.

É mais do que hora de deixar de depositar expectativas em soluções milagrosas (e não saudáveis), e partir para o que realmente funciona, ou seja, uma alimentação balanceada e saudável, e prática de atividade física.

E quanto antes você adotar tais medidas, mais rápido chega onde deseja. E melhor, lá permanece.

Ou você já viu alguém emagrecer DEFINITIVAMENTE usando alguma solução mágica?

Se você conhece alguém que emagreceu devido ao uso de óleo de cártamo, eu estou curioso, me avise. Mas que tenha provas concretas.


 

Referências:

 

1- The importance of the ratio of omega-6/omega-3 essential fatty acids.

2- Safflower Oil Study

3- NTP Comparative Toxicology Studies of Corn Oil, Safflower Oil, and Tricaprylin (CAS Nos. 8001-30-7, 8001-23-8, and 538-23-8) in Male F344/N Rats as Vehicles for Gavage.

Veja Mais Sobre Como Emagrecer

Benefícios da manteiga ghee Nosso bate papo de hoje é sobre os benefícios da manteiga ghee… Peralá, manteiga o que?Se você já ouviu falar de ghee, boas chances de estar famil...
Dieta sem glúten: emagrecimento mais rápido e mais... Por que falar sobre uma dieta sem glúten?A percepção dos malefícios que o glúten pode causar está aumentando cada vez mais em nossa sociedade....
Azeite de oliva: como um óleo gorduroso pode fazer... "Mas espera, azeite de oliva é gordura pura, como vou emagrecer assim?"Apesar da presença de gorduras na sua dieta causar bastante controvérsia, c...
Queimar gordura: análise completa e definitiva de ... Queimar gordura no final das contas é sempre o objetivo maior de não só quem está querendo emagrecer, mas também de pessoas magras em busca de melhor ...

Descubra quais são os 7 alimentos que parecem saudáveis, mas que na realidade não são.

Sim, eu quero.

Publicidade

Uma pessoa comentou aqui

  1. e as capsulas de oleo de cartamos? eu uso sera que devo parar

O que você pensa sobre emagrecimento e dietas? Escreva abaixo!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *