A lista proibida de táticas “sujas” que os restaurantes usam para fazer você comer e gastar mais, sem que você perceba.

A lista proibida de táticas “sujas” que os restaurantes usam para fazer você comer e gastar mais, sem que você perceba.

23 de junho de 2017

Que a indústria da alimentação investe quantidade enorme de recursos para maximizar os seus lucros, isso não é segredo para ninguém.

E esse investimento acaba também em estratégias que, por debaixo do radar, fazem você comer e/ou gastar mais.

E isso se dá de forma subconsciente, ou seja, você nem se dá conta que foi induzido a agir de forma conveniente com os interesses da indústria.

banner método emagrecimento fácil

Seja por táticas de marketing e psicologia da persuasão, não se dar conta disso pode, além de diminuir o saldo de sua conta bancária, acrescentar quilos na balança. Tudo o que você não quer.

 

Por isso é que nós do Comece a Emagrecer, trazemos aqui um guia com as principais táticas usadas pelos restaurantes para você gastar e/ou comer mais.

restaurante-servindo-bebida

Servir drinks faz com que você coma mais, e o dono do restaurante sabe muito bem disso.

  • Upsell

Upsell, em livre tradução para o português, é algo como “venda para cima”, e refere-se grosso modo à adição de um produto sobre uma venda a ser realizada.

Quando o cliente já se encontra disposto a comprar, oferecer uma nova vantagem por um preço adicional é uma forma bastante eficaz de aproveitar essa disposição do cliente.

É como se este pensasse “Já que estou gastando mesmo, vou pagar mais um pouco”.

Você pode ver isso em lanchonetes de fast food, quando o atendente lhe pergunta se você quer adicionar uma fatia de bacon por 1 real, ou então menus de restaurantes que oferecem versões especiais e aumentadas de suas refeições.

E assim você gasta mais, e também come mais.

banner método emagrecimento fácil

 

Assista a versão em vídeo:

 

Aproveite e inscreva-se no nosso canal do Youtube clicando na imagem abaixo

 

  • Espera no bar ou lounge

Faria até mais sentido não ter um bar ou lounge, e liberar espaço para mais mesas, diminuindo o tempo de espera. Mas como tudo tem um propósito, o próximo passo é colocar você esperando lá, onde vai ser difícil que você não peça algum drink e coma alguma coisa.

Alguns locais chegam até a fazer isso deliberadamente, mesmo que tenham uma mesa livre lá no fundo.

 

  • Aperitivos salgados

Sabe aqueles amendoins e biscoitinhos salgados servidos em restaurantes e bares enquanto você espera seu pedido principal?

Isso está longe de ser uma generosidade do local, muito pelo contrário.

É a forma que os donos de estabelecimento encontraram para lucrar com um efeito fisiológico da ingestão do sal, porque isso vai te causar sede. E daí para você gastar mais com bebidas é um pulo.

 

  • “Especial do dia”

Muitos restaurantes reservam espaço em seu menu para o chamado “Especial do dia”.

Mas frequentemente esse especial do dia é apenas a comida que está mais próxima do fim da data de validade.

Além disso, colocar um item em destaque no menu como “especial” também é uma grande forma de aumentar as vendas de outras refeições que dão mais lucro, por exemplo, colocar uma entrada como especial, por um preço bom, dá a impressão que a refeição também o será, quando muitas vezes não é.

 

  • O cardápio

Tudo, ou quase tudo no cardápio, desde a colocação dos itens às fotos, é desenhado para apelar aos seus sentidos e fazer você gastar (e comer) mais.

Pesquisas mostram que a maioria dos clientes olha para o canto superior direito do cardápio em primeiro lugar. E não é surpresa que os restaurantes coloquem os pratos mais caros justamente ali.

Nós somos seres visuais, e por isso os restaurantes sabem a importância de colocar fotos, ou então dar destaque gráfico a produtos que queiram promover.

Por falar em fotos, o uso de fotos e ilustrações é uma bela tática que incentiva o consumo. Usar uma única foto numa página pode aumentar as vendas de algum item do cardápio em até 33%.

Outro aspecto interessante é quando você não vê os sinais de R$ nos preços. Segundo um estudo da Universidade de Cornell, quando o cardápio traz apenas números, sem os sinais típicos da moeda, os clientes tendem a gastar mais.

Se o restaurante, dessa forma sutil, conseguir fazer o cliente se desconectar da questão financeira, eles se tornam mais predispostos a uma conta mais elevada.

Mais uma tática interessante é que os clientes raramente tendem a comprar o produto mais caro, sempre procurando o chamado “preço do meio”.

E aí é que mora o perigo, pois colocar um prato com preço alto perto de outro com um preço que pode ser até alto, porém menor que o primeiro, faz com que o segundo prato pareça uma boa oferta.

E isso é comprovado que aumenta as vendas.

Um exemplo prático disso, vamos supor que o menu de um local venha assim:

BATATA FRITA: 20 reais

 

Mas antes de prosseguirmos... Que tal conhecer um método de emagrecimento totalmente sistematizado e fácil, onde você não precisa abandonar totalmente os alimentos que tanto gosta e acabar de vez com o tal do efeito sanfona, mudando sua vida e saúde para sempre?

Você está a um clique de uma verdadeira revolução na sua vida. Se você precisa perder 10, 20, 30kg ou mais, veio ao lugar certo. E se precisa perder só alguns quilinhos, é mais rápido ainda. Nada de medicações, dietas milagrosas, nada disso. Até porque nada disso é necessário.

E você também vai conhecer 7 alimentos que você provavelmente acha que são emagrecedores, mas que na verdade promovem justamente o efeito contrário.

Clique aqui para saber mais e bem vindo à sua nova vida.

Absurdo, não? Agora imagine o local seguinte:

SALMÃO AO MOLHO DE ALCAPARRA: 85 reais

STEAK AU POIVRE: 70 reais

BATATA FRITA: 20  reais

AMENDOIM: 4 reais

Agora o preço da batata frita já não parece tão absurdo, não acha?

Outra particularidade do exemplo acima é que o texto estava centralizado, e consequentemente, os preços não se encontram alinhados, você percebeu?

Isso é proposital, porque se os preços estão alinhados, você tem mais facilidade em compará-los e basear suas escolhas nisso. Parece pouco, mas faz diferença!

E você pode começar a reparar que os menus nunca apresentam os preços em ordem, seja crescente ou decrescente.

Você provavelmente evitaria os itens mais caros, passando reto para os mais acessíveis, e organizando os preços dessa forma, isso cria uma confusão, o que aumenta as chances de você pedir um prato mais caro.

Outro truque usado é colocar o preço em um tamanho de fonte menor. Os humanos têm um viés psicológico para tomar decisões, baseado em uma correlação direta com o tamanho físico e numérico.

Desta forma, o número 8 escrito em tamanho 10 vai parecer ter valor menor que o mesmo número 8 escrito em tamanho 15. E assim a percepção do preço é melhor (ou seja, menor) quando a fonte é pequena.

E a lista parece que nunca acaba. Outra jogada psicológica utilizada por “designers de menu” (sim, isso existe) é que um preço que termine com um 9, por exemplo, 9,99, tende a significar valor, mas não qualidade.

Adicionalmente, um preço que termine em ,95 ao invés de ,99 é mais eficaz, porque parece mais “amigável” ao consumidor.

A maioria dos restaurantes acaba deixando o preço sem os centavos, porque isso deixa o menu mais limpo, simples e direto ao ponto.

 

  • Cores do ambiente

Algumas cores no ambiente do restaurante podem causar boa influência na mente de um cliente, ao fazer um pedido.

Por exemplo, a cor vermelha está associada à fome, e o laranja faz os clientes sentirem, além de fome, que estão confortáveis.

O amarelo parece causar uma liberação de serotonina, que funciona como um “hormônio de felicidade”.

Isso tudo é significativo porque as pessoas tendem a comer mais quando estão felizes, incluindo vinhos caros e sobremesas.

 

  • Música

A música ajuda a criar uma atmosfera agradável, mas não é a única coisa que ela faz.

Um estudo da Loyola University demonstrou que o faturamento aumentava em 38% quando o ambiente tinha música lenta, em comparação com música rápida.

Outro estudo mostrou que os clientes tendiam a comprar refeições mais extravagantes (e caras) ao som de música clássica.

Já música alta faz com que você coma mais rápido e passe menos tempo no local, o que otimiza o fluxo de clientes.

E como já vimos aqui, comer muito rápido aumenta as chances de você perder o controle. ‎

 

  • Adjetivos

Colocar adjetivos e dar nomes especiais aos seus pratos comprovadamente aumenta as vendas, tornando as opções mais atraentes.

Em geral, isso é feito com os pratos de preço mais elevado, aumentando o valor percebido pelo cliente. Em um estudo, cardápios descritivos aumentaram as vendas em 27%.

Não se surpreenda (ou se encante) quando estiver lendo algo como “deliciosas fatias de peito de frango fresco, cuidadosamente marinadas em temperos exóticos e raros indianos, e aquecidos a exatos 180 graus de acordo com a receita ancestral secreta italiana, acompanhados de suculentas fatias de presunto de peru da Malásia e abacaxi selvagem”.

Deu fome, não? Isso acaba proporcionando uma experiência sensorial incrível a quem lê, e essa descrição acaba fazendo os consumidores terem uma tendência maior à satisfação ao final da refeição.

 

  • Escolhas limitadas

Já ouviu falar de algo chamado paralisia de análise? Imagine que você está num supermercado e ao escolher um sabonete, você se depara com 36 opções diferentes.

Boas chances de você não saber qual vai escolher, ou seja, você fica paralisado. Mas se você tiver apenas duas opções, sua escolha será muito mais rápida.

Através da limitação de escolhas nos menus, os restaurantes previnem esse fenômeno. Aparentemente, o número otimizado de itens em menus é seis por categoria em restaurantes fast-food, e 7 a 10 nos convencionais.

 

  • Garçom mantendo sua mesa limpa

Um garçom treinado vai manter constantemente a sua mesa limpa, ou o seu lugar no bar limpo, de forma que você vai se sentir mais confortável, leia-se ficar e consumir mais.

Deixar copos e pratos sujos e vazios iria lembrar o seu subconsciente do quanto você já consumiu, e aumentar as chances de você dizer “chega”.

 

  • Conexão familiar

Os consumidores são atraídos por nomes familiares, como pais e avós, nos cardápios.

Por exemplo, as pessoas são mais propensas a consumir os cookies da vovó, ou a salada da batata da Tia Maria.

Isso pode adicionar também um pouco de nostalgia.

 

  • Porções diferentes do mesmo alimento

Essa estratégia é uma variante da já citada “preço do meio”, anteriormente.

O consumidor não faz idéia do quão menor a porção pequena é, então ele assume automaticamente que é o melhor custo-benefício porque custa menos.

O que ele não se dá conta que é o restaurante queria vender exatamente a porção menor o tempo todo, e simplesmente usou a porção maior como termo de comparação.

 

  • Conforto e localização das cadeiras

Cadeiras desconfortáveis tendem a fazer com que os clientes comam mais rápido e permaneçam menos tempo no local, novamente otimizando o fluxo e liberando mesas.

O mesmo efeito acontece quando o cliente senta no meio do salão do restaurante.

Não se surpreenda se na próxima vez, você notar que o garçom te ofereceu aquela mesa bem no meio.

 

  • O garçom sumiu

Já aconteceu com você de, ao chegar num restaurante, você pedir um drink, o garçom trazer rapidamente, e depois ele desaparecer por um bom tempo, quando você quer finalmente fazer o pedido?

Isso tem um motivo, e é porque o álcool faz com que você coma mais, e o dono do restaurante sabe muito bem disso. Quem sabe nesse tempo de espera o álcool faz efeito, e aí…

Em outro artigo nosso, já enfatizamos a importância de procurar comer mais em casa, o que por si só evita a exposição a todos os fatores acima. Mas quando você for a um restaurante ou fast food, esteja atento, porque descuidar-se pode não só ser prejudicial ao seu bolso, como adicionar calorias extras e desnecessárias à sua dieta.

Descubra quais são os 7 alimentos que parecem saudáveis, mas que na realidade não são.

Sim, eu quero.

Publicidade

2 disseram o que pensam. Agora é sua vez.

  1. Ótimo texto. Parabéns, Eduardo!
    Só acho que vc se confundiu em uma pequena coisa, neste trecho quando fala sobre o cardápio:

    “Desta forma, o número 8 escrito em tamanho 15 vai parecer menor que o mesmo número 8 escrito em tamanho 10.”

    Acho que trocou o número 15 pelo número 10 e vice-versa.

    Mas não faz muita diferença. Obrigada pelo excelente artigo.

    Angela.

    • Obrigado pelo comentário e pela observação, Angela.

      Corrigido! Acho que agora ficou tudo mais claro.

Trackbacks/Pingbacks

  1. 5 receitas caseiras para emagrecer | Comece a Emagrecer - […] Receitas caseiras para emagrecer estão entre as formas mais eficientes de perder os quilos a mais, pois quando nos…

O que você pensa sobre emagrecimento e dietas? Escreva abaixo!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *