A razão triglicerídeos/HDL – como avaliar seu colesterol

A razão triglicerídeos/HDL – como avaliar seu colesterol

22 de Março de 2018

Não se surpreenda se você nunca tiver ouvido falar da razão triglicerídeos/HDL, em matéria de colesterol.

Mas hoje isso vai mudar!

E estava mais do que na hora.

banner método emagrecimento fácil

 

O que você sabia sobre colesterol pode estar errado.

 

Durante anos, as medidas de colesterol no sangue foram usadas para avaliar o risco de doença cardíaca.

Temos sido intensamente educados sobre o papel do LDL, comumente apelidado de colesterol ruim e HDL, freqüentemente chamado de colesterol bom.

Por muitas razões diferentes, a redução do LDL tornou-se um objetivo primordial na prevenção cardiovascular. Nem que seja na marra, à base de estatinas, que dão um bom dinheiro para a indústria farmacêutica e… Bom, acho que você entende onde quero chegar.

Há evidências substanciais disponíveis sugerindo uma relação entre o LDL e o risco de doença coronariana.

Profissionais médicos geralmente recomendam medidas de estilo de vida que diminuem o LDL e estatinas (drogas para baixar o colesterol) são usadas por milhões de pessoas em todo o mundo com o único propósito de reduzir os números de LDL.

banner método emagrecimento fácil

Entretanto, para entender a doença cardíaca coronariana e como as placas se formam em nossas artérias (aterosclerose), temos que entender que focar apenas o colesterol é uma simplificação excessiva.

 

razão triglicerídeos/hdl

Basicamente isso leva você a ter infartos, derrames, etc…

 

Simplificando o colesterol (pero no mucho)

 

Como o colesterol é uma substância gordurosa, não pode se misturar com a água e, portanto, não pode transitar pela corrente sanguínea de forma pura.

A solução para este problema é ligar moléculas de gordura a lipoproteínas que funcionam como veículos de transporte que transportam diferentes tipos de gorduras, tais como colesterol, triglicerídeos (triglicerídeos) e fosfolípidos.

Grosso modo, a lipoproteína tem uma superfície solúvel em água, e uma parte interna que liga o colesterol e outras substâncias gordurosas. Assim a gordura pode se “dissolver” num meio aquoso como o sangue.

É importante entender que são lipoproteínas que interagem com a parede arterial e iniciam o desenvolvimento da aterosclerose.

O colesterol é apenas um dos vários componentes das lipoproteínas.

 

razão triglicerídeos hdl

razão triglicerídeos hdl

Essa luta do bem contra o mal é uma simplificação enganosa

O perfil lipídico

 

Um perfil lipídico padrão inclui colesterol total, LDL, HDL e triglicerídeos.

Embora o LDL geralmente obtenha a maior parte da atenção, a evidência sugere que outros aspectos do perfil lipídico podem não ser menos importantes.

Por exemplo, o colesterol não HDL é um forte marcador de risco, talvez mais importante que o LDL.

Confiar no LDL sozinho pode ser enganador.

Por exemplo, pessoas com obesidade, síndrome metabólica ou distúrbios lipídicos relacionados ao diabetes, muitas vezes têm aumento de triglicerídeos, HDL baixo e LDL normal ou próximo ao normal.

Esses indivíduos produzem lipoproteínas de densidade muito baixa (VLDL) e lipoproteínas de densidade intermediária (IDL), que podem aumentar o risco de aterosclerose.

Muitos estudos descobriram que a relação triglicerídeos/HDL se correlaciona fortemente com a incidência e extensão da doença arterial coronariana.

Essa relação é verdade tanto para homens como para mulheres.

Um estudo descobriu que uma razão triglicerídeos/HDL acima de 4 foi o preditor independente mais poderoso do desenvolvimento da doença coronariana doença arterial.

Com a prevalência crescente de excesso de peso, obesidade e síndrome metabólica, esta proporção pode tornar-se ainda mais importante, pois triglicerídeos elevados e baixo HDL são fatores freqüentemente associados a esses distúrbios.

 

A razão triglicerídeos/HDL

Prazer, triglicerídeo!

 

A razão triglicerídeos/HDL pode ser facilmente calculada a partir do perfil lipídico padrão.

Apenas divida seu triglicerídeos pelo seu HDL. Simples!

No entanto, ao olhar para a proporção ideal, você deve verificar se seus valores de lipídios são fornecidos em mg/dl como nos EUA ou mmol/L, como na Austrália, Canadá e na maioria dos países europeus.

Se os valores lipídicos forem expressos em mg / dl (como nos EUA);

 

Inferior a 2 = ideal

 

Mas antes de prosseguirmos... Que tal conhecer um método de emagrecimento totalmente sistematizado e fácil, onde você não precisa abandonar totalmente os alimentos que tanto gosta e acabar de vez com o tal do efeito sanfona, mudando sua vida e saúde para sempre?

Você está a um clique de uma verdadeira revolução na sua vida. Se você precisa perder 10, 20, 30kg ou mais, veio ao lugar certo. E se precisa perder só alguns quilinhos, é mais rápido ainda. Nada de medicações, dietas milagrosas, nada disso. Até porque nada disso é necessário.

E você também vai conhecer 7 alimentos que você provavelmente acha que são emagrecedores, mas que na verdade promovem justamente o efeito contrário.

Clique aqui para saber mais e bem vindo à sua nova vida.

acima de 4 = muito alta

acima de 6 = risco elevado

 

Se os valores de lipídios são expressos como mmol / L (como na Austrália, Canadá e Europa);

Inferior a 0,87 = ideal

acima de 1,74  = muito alta

acima de 2,62 = risco elevado

Razão triglicerídeos/HDL x partículas de LDL

 

Recentemente, a análise do número de partículas de LDL e tamanho de partícula de LDL vem se tornando cada vez mais comum.

No entanto, este método não está disponível universalmente, é caro e não tem sido amplamente aplicado na prática clínica.

Um número elevado de pequenas e densas partículas de LDL estão associadas ao aumento do risco de doença coronariana em estudos prospectivos epidemiológicos.

Os indivíduos com partículas pequenas e densas (fenótipo B) correm maior risco do que aqueles com partículas de LDL maiores e mais dinâmicas (fenótipo A).

Curiosamente, verificou-se que a razão triglicerídeos/HDL pode prever o tamanho das partículas.

Um estudo descobriu que 79% dos indivíduos com uma proporção acima de 3,8 tinham uma preponderância de pequenas partículas densas de LDL, enquanto que 81% das pessoas com uma proporção inferior a 3,8 tinham uma preponderância de grandes partículas de flutuação.

A tendência é que pessoas com alta razão triglicerídeos/HDL tenham triglicerídeos acima da média.

Assim como todos os outros lipídios, os triglicerídeos precisam ser transportados sangue por lipoproteínas; a maioria é transportada por quilomícrons e VLDL.

O que acontece nessas circunstâncias é um intercâmbio de lipídios entre as lipoproteínas.

Triglicerídeos são transferidos de VLDL para LDL e HDL em troca de um éster de colesterol.

O resultado é que as partículas de LDL e HDL tornam-se pobres em colesterol e ricas em triglicerídeos.

Então, quando os triglicerídeos são removidos dessas partículas, o que geralmente é o caso, as partículas encolhem e se tornam menores, já que transportam apenas pequenas quantidades de colesterol.

Isso explica a relação entre a alta razão triglicerídeos/HDL e o número de pequenas partículas de LDL.

No entanto, o número de partículas de LDL presentes no sangue pode ser mais importante que o tamanho das partículas.

Além disso, o número de partículas parece mais importante do que quanto colesterol é transportado dentro dessas partículas.

Os níveis sanguíneos de LDL e apolipoproteína B estão fortemente correlacionados com o risco de doença cardíaca coronária. Ambas as medições refletem o número real de partículas de LDL.

Mas, pode a razão triglicerídeos/HDL ter reflexo no número de partículas?

Na verdade, pode, até certo ponto.

Dê uma olhada no LDL, a quantidade de colesterol transportada nas partículas de LDL. Uma proporção alta de triglicerídeos / HDL indica que essas partículas são pequenas.

Uma pequena partícula carrega menos colesterol do que uma grande partícula.

Portanto, um número maior de partículas é necessário para transportar uma certa quantidade de colesterol se as partículas forem pequenas do que se forem grandes.

Assim, uma alta razão triglicerídeos/HDL provavelmente reflete um grande número de partículas de LDL, a menos que o LDL seja muito baixo.

 

 

Razão triglicérideos/HDL  x resistência à insulina

 

A resistência à insulina é uma condição em que as células não respondem às ações normais da insulina.

A maioria das pessoas com essa condição tem altos níveis de insulina no sangue.

A resistência à insulina parece desempenhar um papel significativo na doença cardíaca coronária e pode prever a mortalidade. Sem falar na óbvia implicação com o diabetes mellitus.

A condição é comum entre indivíduos com obesidade abdominal e síndrome metabólica.

Um estudo em que a maioria dos participantes eram caucasianos e com excesso de peso identificou a relação triglicerídeos/HDL de 3 ou mais como um preditor confiável de resistência à insulina.

No entanto, nem todos os estudos encontraram a razão triglicerídeos/HDL associada à resistência à insulina.

Por exemplo, em um estudo relativamente pequeno de 125 participantes afro-americanos, nem o triglicerídeos de jejum nem a relação triglicerídeos/HDL mostraram ser um marcador de resistência à insulina.

Embora sejam necessários estudos de confirmação, os dados sugerem que uma proporção elevada de triglicerídeos/ HDL  pode ser clinicamente útil para a predição de resistência a insulina.

 

Concluindo – Como melhorar a sua razão triglicerídeos/HDL

razao triglicerideos hdl

Essa é uma das formas…

 

Melhorar a sua razão triglicerídeos/HDL tem como objetivo diminuir o triglicerídeos, aumentar o HDL ou preferencialmente, ambos.

Se você está com sobrepeso, a perda de peso provavelmente reduzirá seus níveis de triglicerídeos , assim como uma menor ingestão de açúcar.

Estudos descobriram que a alta ingestão de frutose leva a triglicerídeos elevado. O xarope de milho rico em frutose é uma importante fonte de frutose.

Dietas com baixo teor de gordura geralmente não são eficazes na redução de triglicerídeos. De fato, dietas com baixo teor de gordura e alto teor de carboidratos podem elevar os triglicerídeos.

A adição de ácidos graxos ômega-3, exercícios regulares e limitação de álcool podem ser úteis para reduzir os triglicerídeos.

Métodos semelhantes podem ser úteis para aumentar o HDL.

Perder peso, exercitar e não fumar pode ajudar. Em ensaios controlados, as dietas com baixo teor de gordura e alto teor de carboidrato diminuem o HDL, aumentando, assim, a relação triglicerídeos/HDL.

Em 1961, um grupo de investigadores publicou um artigo intitulado “Lipemia induzida por carboidratos e por gordura”.

Os autores ressaltaram que o aumento do triglicerídeos induzido pela gordura após uma refeição é um fenômeno pós-prandial (todos nós apresentamos triglicerídeos elevado por algumas horas após uma refeição gordurosa) causado por quilomícrons é diferente do aumento induzido por carboidratos no triglicerídeos (por uma elevação de VLDL).

Esses achados foram confirmados em vários estudos mais recentes. Apesar disso, dietas com baixo teor de gordura e alto teor de carboidratos ainda estão sendo recomendadas como uma opção primária para reduzir o risco de doenças cardíacas.

Embora dietas com baixo teor de gordura possam ajudar a reduzir o LDL, dietas com baixo teor de carboidratos são mais eficazes para melhorar a razão triglicerídeos/HDL.

Isto sugere que apenas a seleção do LDL como alvo na prevenção cardiovascular é uma simplificação excessiva, e pode ter levado a conclusões erradas sobre a relação entre dieta e doença cardíaca.

Descubra quais são os 7 alimentos que parecem saudáveis, mas que na realidade não são.

Sim, eu quero.

Publicidade

O que você pensa sobre emagrecimento e dietas? Escreva abaixo!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *